Palmas, quarta 17 de julho de 2019

Esportes Aquáticos

Modelo internacional, Felipe Martins se divide entre a piscina e a passarela

02/05/2013 14h27

globo.com

Desde 2009, nadador do Minas tenta conciliar suas duas paixões. Mas bronze garantido nos 50m borboleta no Maria Lenk dá incentivo para carreira de atleta.

Há quatro anos, Felipe Martins intercala os desfiles nas passarelas com as corridas dentro d’água. Modelo internacional, já fez diversas campanhas para marcas famosas e constantemente participa de edições brasileiras e estrangeiras das semanas de moda. Mas, nos últimos meses, a paixão pela natação tem falado mais alto. Os belos olhos verdes passam mais tempo escondidos atrás dos óculos de silicone, e as roupas estilosas deram lugar às bermudinhas básicas para a prática do esporte. As poses para as câmeras, porém, continuam firmes e fortes. Só que agora, em algumas fotos, o atleta de Campinas, de 25 anos, aparece com um acessório diferente: a medalha no peito.

A natação é a sua mais antiga paixão. Ao lado do irmão Henrique Martins, também nadador, se dedicou ao esporte desde cedo. O menino magrinho foi crescendo e ganhando corpo. Logo sua beleza começou a chamar atenção. Há quatro anos, acabou sendo fisgado pelo mundo da moda e viajou o mundo por causa dela. Fez diversas campanhas para estilistas e marcas famosas brasileiras e internacionais. No currículo, coleciona participações nas semanas de moda de Nova York, Milão, Rio de Janeiro e São Paulo.

Com o sucesso nas passarelas, o sonho de virar um nadador profissional foi ficando de lado. Até que um convite do Minas Tênis, no início do ano, surgiu como uma última chance do modelo de sucesso também ganhar fama dentro d’água.
- Em 2009, comecei a trabalhar como modelo. Depois, comecei a viajar para fazer Fashion Weeks. Aí recebi o convite do Minas. Eles disseram: “Você quer se dedicar 100% à natação?”. Era o meu sonho. Nunca tive essa oportunidade. Tenho ficado mais na natação. Parei um pouco de fazer os desfiles. Eu amo nadar, mas, quando dá um tempinho, vou para São Paulo, faço um trabalho, viajo. É bem bacana – contou Felipe, que namora a nadadora Carolina Bergamaschi.

O investimento deu certo. Depois de quatro meses de treinamentos intensos, Felipe, que é formado em Educação Física, teve a resposta que esperava. No Troféu Maria Lenk 2013, na última semana, conquistou sua primeira medalha de ouro individual em uma disputa brasileira. Garantiu o bronze nos 50m borboleta, atrás de Nicholas Santos e Cesar Cielo, campeão mundial da prova, e ao lado de Guilherme Roth.

- Os 50m borboleta do Brasil é muito forte. Mas esse ano o Minas me deu uma estrutura fora do normal, com apoio de psicólogo, nutricionista, fisioterapeuta... Então, consegui treinar de igual para igual e consegui essa medalha. Agora é continuar treinando, me adaptando cada vez mais ao treinamento deles para trazer mais resultados positivos para o Minas - comemorou.

Embora o esporte de alto rendimento exija uma intensa dedicação, Felipe não deixou morrer sua carreira de modelo. Sempre que dá, ainda faz alguns trabalhos nas passarelas ou fotografando.

- É complicado se dividir. A natação é uma rotina. A moda não tem rotina nenhuma. Cada hora você vai parar em um lugar, vai para um país, vai para outro. Então, é difícil de conciliar. Mas dá ainda para fazer uma coisinha ou outra na moda – disse o nadador, que chamou atenção na última semana “desfilando” no Maria Lenk com uma divertida sunga com estampa de corujas.

Não restam dúvidas, porém, que, se um dia precisar optar entre suas duas paixões, a natação será a escolhida.

- Sou apaixonado por isso. A sensação que você tem antes de nadar não encontra quando vai desfilar. Dá um nervoso também, mas não é como na piscina, que seu coração fica disparado, aquele suor, aquela vontade de bater e olhar seu tempo - descreveu o atleta, com os olhos brilhando.


Globo.com

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.